Sobre a OMA Enxovais

A OMA Tecidos & Enxovais há mais de 25 anos no comercio de Cama, Mesa, Banho e Tecidos na cidade de Pirapora e João Pinheiro - MG, agora para o mundo inteiro. Vendendo as principais marcas do mercado como: Coteminas e Karsten alem de produtos com fabricação propria e marca OMA Enxovais, para saber mais acesse nosso site institucional: www.omatecidos.com.br e veja a baixo um pouco da nossa historia

Nossa Visão:

Inspirar pessoas e a encontrarem seu lugar no mundo e fazer a diferença entraves de um trabalho digno com perseverança, abertura para mudanças e confiança em si mesmo.

Nossa Missão:

Existimos para avançar sempre nas melhorias continuas, aumentando nossa capacidade de proporcionar as pessoas uma experiência diferente com satisfação em suas compras.
O que valorizamos – As 5 pontas que fazem nossa estrela brilhar.

Dignidade: Trabalhar com muito afinco em favor de um nome limpo e equilíbrio financeiro para colaboradores, clientes e fornecedores.

Simplicidade: Ser quem você é para atender as pessoas sem fita gravada e garantir a confiança.

Honestidade: Oferecer a verdade aos clientes para garantir a credibilidade, pode perder a venda, mas jamais o cliente.

Foco na solução: Cada obstáculo ou reclamação de uma pessoa, é um presente e um convite para você se tornar um profissional melhor.

Criatividade: Ofertar ao cliente variedade para sua melhor escolha, proporcionando-lhe uma experiência de felicidade.

Breve história do nosso empreendedor.

1969 no sítio Pé da Ladeira em Minas Gerais.

Era uma vez um garoto da roça, chamado carinhosamente de Vadinho, ele vivia no pequeno sítio com seus pais, irmãos e irmãs que nasciam quase que anualmente e a família aumentava vertiginosamente.

Vadinho, o segundo filho da prole, ajudava seu pai através do trabalho árduo a tirar o alimento e algum dinheiro literalmente da terra.

Com sua enxada nas mãos, carpia os matos e plantava mandioca, do nascer ao pôr do sol. Parte da colheita transformava-se em alimento na mesa e outra era processada por sua dedicação infantil até virar farinha, então, caminhava 10km para vender aos donos de mercadinhos, conhecidos no vilarejo como  “venda”.

Aquele menino franzino e pele amarelada, ao chegar no mercadinho, seus olhos brilhavam ao ver as mercadorias prontas nas prateleiras, seu pequeno coração se emocionava e lá dentro de sua mente, dizia a si mesmo: “Quero uma dessa para mim”.

Um dia, indignado com a situação, gritou com seu tio que lá trabalhava também: “Estou cansado dessa vida, quero ser dono de venda”.

Seu Tio em tom sarcástico e bravo respondeu: “Você quer ser dono de venda? Olha para você seu smiliguido amarelo.”

Vadinho, ouviu aquela frase como uma flecha a sangrar seu coração. A raiva o fez agir cravando a faca que usava para raspar mandiocas em uma delas. Com os olhos vermelhos pelas lagrimas que queriam rolar em rosto, disse com firmeza de um homem: “Você vai ver, me espera crescer”.

O tempo passou e Vadinho Foi para Brasília.

1977 – Consegue uma oportunidade de faxineiro no banco do Bradesco e lá aprende a importância da limpeza e organização.

1978 – Trabalha como balconista e chapeiro numa pequena lanchonete EKYSS aonde aprende a essência do atendimento ao cliente.

1979 – Trabalha como ajudante de garçom no Hotel Nacional e aprende o respeito a hierarquia e procedimentos.

O tempo continua a passar e aquele Vadinho muda para São Paulo. Lá é chamado pelo nome, Osvaldo.

1980 – Trabalha de garçom na Churrascaria PAMPA e desenvolve habilidades em lidar com grande público de diferentes estilos e pressão por resultados no tempo certo.

O retorno para Minas Gerais.

1983 – Osvaldo junta suas economias e retorna para a cidade de Taiobeiras para realizar seu sonho de infância. Assim abre a lanchonete BIG LANCHES que vem a falir em 1985.

De volta a São Paulo

1985 – Com a dor da frustração e o aprendizado da importância de um planejamento e orçamento sentindo na própria pele. Determina a perseverar com mais força.

Voltar a ser garçom na churrascaria PAMPA e dessa vez trabalha com a mesma excelência, mas também observando as conversas dos empresários que lá frequentava.

Retorno definitivo para Minas Gerais. Pirapora

1989 Nasce a atual OMA que é um acróstico do seu nome, sugerido por seu contador e amigo João. Osvaldo Miranda Araújo.

Desta vez além das economias, Vadinho carregava em sua bagagem pensamentos como:

– “Eu sou meu melhor professor”
– “Aquilo que não sei eu posso aprender”
– “Nos momentos de medo, avanço para alcançar a superação”.
– “Trabalho, honestidade e humildade”

Linha do Tempo da OMA TECIDOS

1989 – Fundação – Retalhão do Povo – 1 Colaborador – Vendia Somente retalhos
1991 Amplia os negócios – Central dos tecidos – 2 Colaboradores – vendia retalhos e tecidos
1997 – Inova e passa se chamar definitivamente como OMA – 8 colaboradores – Tecidos, Cama, mesa e enxovais
2008 – Abertura de uma nova loja em João Pinheiro – 16 colaboradores
2016 – Ampliação da empresa para o ramo de fabricação.

Texto escrito por Sílvia Araújo